O que é integridade?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page

Cada vez que eu pergunto em sala de aula ou mesmo em treinamentos, as pessoas hesitam na resposta. O que significa integridade? Você se considera um ser íntegro, acima de tudo? Você se sente bem trabalhando em empresas onde o líder, os amigos ou o próprio dono estão longe de entender o significado? A integridade faz parte do seu conjunto de valores fundamentais?

De acordo com o meu amigo Aurélio, integridade vem do latim integritate e representa a qualidade do íntegro, fundamentada pela retidão e imparcialidade, portanto, uma virtude fundamental e ao mesmo tempo ignorada nos dias de hoje. De maneira geral, o abismo entre o discurso e a prática é algo digno de estudo, quer na economia ou na política, na educação ou na ciência.

integridade

Para reforçar o conceito é necessário entender também o significado da palavra íntegro, a qual, obviamente, nos remete ao conceito de integridade. Do latim integru, ser integro significa ser inteiro, completo, perfeito, exato, imparcial, brioso, inatacável.

As definições do Aurélio são clássicas e inquestionáveis, entretanto, para facilitar um pouco mais o entendimento, algumas perguntas são essenciais para a reflexão:

  • O que você faz na prática está de acordo com o seu discurso?
  • O seu comportamento em casa é muito diferente do comportamento na empresa?
  • Você odeia o chefe, mas sorri e distribui elogios quando ele aparece?
  • Os filhos dos outros são sempre melhores do que os seus?
  • O cônjuge tem recebido a atenção, o apoio e o valor que merece?
  • Você é do tipo “faça o que eu digo”, mas não faça o que eu “faço”?
  • Você consegue ouvir um pouco mais do que fala, além de respeitar o ponto de vista alheio?

Integridade é uma virtude desafiadora, difícil de ser praticada num mundo repleto de valores equivocados, onde a importância do ter alguma coisa é maior do que a importância do ser alguma coisa. Na prática, integridade se consolida somente quando os seus valores estão em consonância com a sua conduta.

O ser humano integral não oscila de acordo com o momento presente ou de acordo com a sua conveniência desrespeitando leis, normas e regulamentos que valem para toda a sociedade. Há muito tempo a famosa “Lei de Gérson” deixou de ser uma vantagem. Prejudicar alguém – pessoa física ou jurídica – por um motivo tolo e incoerente, em benefício exclusivo de si próprio, custa caro para a consciência e para a sociedade, a menos que a pessoa seja desprovida de hormônios.

Penso que é muito simples ser íntegro. Será que você precisa se sujeitar a todas as transgressões impostas pela nossa combalida sociedade de consumo somente para ficar rico mais depressa e fazer parte da elite em menos tempo?

É difícil praticar aquilo que os nossos pais e avós praticavam com facilidade há menos de trinta ou quarenta anos? Você se considera íntegro a ponto de crescer na empresa sem puxar o tapete alheio, falar mal do chefe, desviar recursos, fazer conchavos e demonstrar corpo mole?

Integridade requer a prática de princípios universais como paz, amor, respeito, liberdade, humildade, igualdade, coisas simples que independem de credo, origem, cor e nível de instrução. Integridadedepende do óbvio. O que vale para mim vale para você e para o mundo inteiro.

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someonePrint this page
9 Comments

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *