Em busca da oportunidade

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

De acordo com o Relatório do GEM (Global Entrepreneurship Monitor) 2018, o Brasil continua entre as nações com o maior número de empreendedores, portanto, onde mais se criam negócios. Paulo Okamoto, Diretor-Presidente do SEBRAE, afirma no relatório que, em nove anos de pesquisa sobre o tema, muita coisa mudou no perfil e na postura empreendedora dos brasileiros.

Empreendedores e empresários de negócios de pequeno e médio porte já entenderam que, para iniciar e gerenciar um empreendimento com sustentabilidade, o melhor caminho é sempre o do conhecimento. Quanto maior o volume de informações do empreendedor, maior o nível de competitividade da empresa.

Durante os seis primeiros anos da pesquisa, iniciada pelo GEM em 1999, a relação de empreendedores por oportunidade e empreendedores por necessidade sempre esteve próxima de 50/50, ou seja, para cada negócio iniciado por necessidade surgia outro por oportunidade.

Diferente dos anos anteriores, um ponto relevante da pesquisa, por exemplo, é a melhoria observada no nível de empreendedorismo por oportunidade. Em 2008, para cada negócio gerado por necessidade, foram registrados dois negócios por oportunidade, um dado extremamente promissor considerando o período da crise mundial que também afetou, em menor proporção, a economia brasileira.

Embora o principal alvo do SEBRAE continue sendo o empreendedorismo por oportunidade, em razão da opção escolhida e do próprio perfil do empreendedor que se apresenta mais seguro e determinado para realizar um negócio, os empreendedores por necessidade ainda precisam de apoio e, principalmente, de capacitação, portanto, não podem ser esquecidos.

oportunidade

Em 2018, dez anos depois, o Brasil passou a ocupar a sexta colocação no grupo dos 11 países classificados com “média renda” e na 10a colocação geral dos 49 países pesquisados. Além disso, o Brasil está na segunda colocação no grupo dos 11 países classificados com “média renda” e na terceira colocação geral dos 49 países. Em síntese, isso significa que 51,9 milhões de pessoas de 18 a 64 anos têm um negócio ou estão envolvidos na criação de um.

Por fim, não existe a menor dúvida de que empreender por conta própria é uma atividade arriscada e, por essa razão, a maioria prefere a lógica da pseudo-segurança dos empregos. Entretanto, a busca da oportunidade para empreender deve ser um exercício constante, fruto da ousadia, do planejamento e do trabalho bem elaborado, onde a sorte favorece os que são persistentes e determinados a vencer todos os obstáculos.

Pense nisso e empreenda mais e melhor!

Quer saber mais? Leia o meu livro Empreendedorismo 360 graus: a prática na prática

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *