A reinvenção de si mesmo

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Depois de cinquenta anos bem vividos, tomei uma decisão importante na minha carreira profissional. Estou partindo para o meu próprio negócio. Apesar de bem remunerado e feliz com a oportunidade recebida há nove anos, numa grande empresa de consultoria, há coisas que o dinheiro, o glamour e o sobrenome da empresa, incorporado ao nome da gente, não remuneram.

Essa velha questão, comum a todos os mortais, me incomoda mais do que tudo na vida: – o que você vai ser quando crescer? Como dizia Ralph Waldo Emerson, poeta e pensador norte-americano, leva tempo para descobrir o quanto somos ricos. Contudo, não se deve desistir nunca.

Nesse exato momento, enquanto você lê esse artigo, eu me considero rico em termos de potencial e conhecimento para desbravar o mundo, mas essa mudança passou por uma longa trajetória de erros e acertos e isso é o que faz a gente crescer.

Tive a oportunidade de acompanhar a história de centenas de empreendedores ao longo dos últimos dez anos. Da mesma forma, tive a chance de participar do crescimento e das angústias de boa parte deles e cheguei a uma simples conclusão: – não há nada que boa vontade, foco e persistência não resolvam.

Existem milhares de pessoas e empresas no mundo precisando de ajuda, portanto, decidi reinventar minha carreira e trazer à tona a vontade real do meu coração a fim de tornar a vida verdadeiramente válida em termos profissionais.

Algumas pessoas enxergam o seu nariz melhor do que você, portanto, é necessário saber ouvi-las e, ao mesmo tempo, dar voz ao seu coração para buscar a força e a criatividade que já existem dentro de você mesmo. Na prática, é preciso desafiar os nossos próprios modelos mentais para romper o aprisionamento que nos limita.

A reinvenção de si mesmo exige uma boa dose de autoconhecimento. Nossa mente é contraditória e nossas janelas são limitadoras. Isso faz com que as pessoas se fechem para as oportunidades que se abrem todos os dias. É aquela velha história: enquanto alguns choram, outros vendem lenços e flores.

reinvencao-de-si-mesmo

Portanto, em vez de procurar o emprego dos meus sonhos, decidi criar o meu próprio emprego ao definir o que eu quero para os próximos cinquenta anos, afinal, não tenho projeto de morrer antes dos cem. Com o tempo, percebi que gosto de analisar e resolver problemas alheios, sou fã de vários empreendedores e, com isso, me tornei motivador por natureza.

Por fim, eu construí uma boa rede de relacionamentos e me considero capacitado para implementar ideias e soluções em diferentes tipos de empresas, então, o que me impede de fazer isso mais e melhor, por conta própria?

É fácil tomar uma decisão dessas? Claro que não. Tomar decisões difíceis envolve riscos, ônus e bônus, prós e contras, além de você ter de brigar o tempo todo com sua mente conspiradora emitindo sinais de alerta: “cuidado”, “ melhor um pássaro na mão do que dois voando” etc.

Não existe um método 100% seguro para reinventar a si mesmo com absoluta chance de sucesso, portanto, quero compartilhar aqui um simples roteiro de questões levadas por mim em consideração para chegar a uma decisão difícil como essa:

  1. Você está feliz fazendo o que faz?
  2. Você está feliz onde trabalha?
  3. Você está disposto a dar um passo para trás para dar dois para frente?
  4. Você tem reservas financeiras para se aguentar por um bom tempo?
  5. Você faz as coisas de maneira diferente da grande maioria?
  6. Você consegue tornar a vida das pessoas mais fácil?
  7. Você consegue aprender algo diferente todos os dias?
  8. Você tem experiência e credibilidade exigidas pelo mercado?
  9. Você tem amigos e parceiros com quem pode contar mais adiante?
  10. Você consegue ser ainda melhor naquilo que faz?

Como dizia Abraham Maslow, psicólogo norte-americano, “Não é normal saber o que queremos; é uma realização psicológica rara e difícil.” Porém, a frase mais difícil e incômoda no fim da vida será essa: “eu poderia ter tentado isso”.

Pense nisso e empreenda mais e melhor!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *