Jussier Ramalho e o Relacionamento na Banca Pratica

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

A infância pobre de Jussier Ramalho não difere muito da história de milhares de outros meninos pobres do nordeste brasileiro, criados com escassez de recursos, sem a presença do pai e, geralmente, condenados a uma vida de extrema penúria.

jossier-ramalho-empreendedor

Arrimo de família, a vida de Jussier Ramalho começou a mudar aos 16 anos, quando saiu de casa e se dirigiu para um lugar longe e desconhecido, o Rio de Janeiro, a fim de tentar a sorte na cidade grande e assim poder ajudar os que ficariam à espera de recursos e de notícias mais alentadoras.

Tempos depois, quando regressou para Natal, capital do Estado do Rio Grande do Norte, aos 32 anos, Jussier iniciou a grande virada da sua vida e decidiu casar. Para adquirir os recursos financeiros necessários e ter direito uma vida digna, sentiu-se impelido a agir. Segundo o próprio Jussier, assim como Machado de Assis, ele também não queria deixar a ninguém o legado da sua pobreza.

Apesar da vontade e da dedicação, a política da Era Collor acabou lhe confiscando o pouco que havia conseguido economizar: “fiquei novamente sem nada, tive que juntar forças para começar tudo de novo, tudo parecia muito difícil.” A oportunidade de mudança surgiu através da possibilidade de aquisição de uma banca de revistas em Natal.Praticamente sem recursos, Jussier Ramalho  foi sincero com a antiga proprietária e, com muito jeito, conseguiu um prazo de 45 dias para quitar o valor do empreendimento.

Ávido por realização e sobrevivência, Jussier arriscou-se a iniciar o próprio negócio numa manhã de domingo, mesmo sem a licença para instalar a banca. Na segunda-feira pela manhã, quando os ficais da Prefeitura Municipal anunciaram o desejo de arrancar a banca do lugar, Jussier trancou-se dentro dela para nunca mais sair do negócio.

“Minha situação era desesperadora. Natal tem um clima de mais de 30 graus à sombra, e eu, dentro da banca de ferro e lata totalmente fechada. O calor de cerca de cinqüenta graus era insuportável, a sauna forçada durou o dia inteiro, as horas pareciam meses e eu ali trancado sem água, sem comida, apavorado pela iminência de removerem o único meio de vida que eu tinha naquele momento. Não saí de dentro nem à noite, tamanho era o medo de arrancarem o meu futuro negócio, pois tinha a certeza do sucesso.”

Além da vontade de empreender, Jussier mobilizou um contingente expressivo para que tudo funcionasse a contento, cativou os clientes, inovou nas promoções e trabalhou duramente para juntar a quantia necessária e saldar a dívida, em menos de vinte dias depois de ter aberto o negócio.

Mesmo sem graduação acadêmica, Jussier fez tudo de maneira intuitiva. Implantou o “sorriso quinze pras três”, criou os setores “light, diet e engordiet”, “tapete virtual” e outras técnicas de marketing pessoa criaram o seu diferencial competitivo perante os clientes e a concorrência.

Segundo Jussier Ramalho, o que na faculdade chamam de ‘Marketing boca a boca’ ele chama de ‘Marketing pé de ouvido’ sempre inovando em suas atividades como jornaleiro. “Com muito bom humor, eu sempre digo que enquanto as grandes empresas fazem pesquisas qualitativas e quantitativas sem verba nenhuma eu faço a pesquisa ‘boquitativa’”.

Treze anos depois desse triste episódio, o empreendedorismo de Jussier foi reconhecido pela comunidade local e pelos meios de comunicação. A Banca PRÁTICA é uma lição de empreendedorismo e marketing de relacionamento. Possui climatização própria e conta com um fluxo elevado de pessoas, além de ter se tornado ponto de referência na cidade. Funcionários trabalham uniformizados, são bem treinados, solícitos e extremamente comprometidos com a missão do seu fundador.

Em razão da sua técnica apurada de surpreender os clientes e torná-los apaixonados pela banca, Jussier foi convidado para um bate-papo com alunos de uma Universidade e, então, nunca mais parou. Além das atividades de empreendedor, ele percorre o Brasil compartilhando suas experiências sobre empreendedorismo, marketing e motivação com universitários e executivos sempre defendendo que conhecimento e sabedoria andam juntos e constituem o grande diferencial da vida de qualquer pessoa de sucesso.

Fonte:

MENDES, Jerônimo. Manual do Empreendedor: como construir um empreendimento de sucesso. São Paulo, Atlas, 2009.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *