A ousadia faz a diferença

Quanto vale a sua ousadia? Imagine que você foi contratado para fazer parte da equipe de vendas de uma grande empresa e aos poucos vai tentando colocar em prática algumas ideias que há muito tempo estão engavetadas na mente à espera de uma oportunidade para torná-lo reconhecido no mercado de trabalho.

Todos os dias, religiosamente, você chega cedo, cumprimenta os colegas com sorriso nos lábios, prepara a agenda de trabalho, revê suas metas e, pelo fato de ter um propósito de vida muito claro, não há nada que possa quebrar a sua expressão de otimismo e de esperança com relação ao novo emprego, afinal, você sabe o quanto lutou para conquistar essa vaga e tem noção de quantos profissionais dariam tudo para estar ali no seu lugar.

A ousadia faz a diferença

Depois de algum tempo você percebe que as coisas não são tão simples assim e, apesar do seu esforço e dedicação, o ambiente de trabalho está sempre carregado, o chefe não é nada amistoso e os colegas de área parecem pouco dispostos a lhe conceder uma chance de apresentar suas ideias.

Aos poucos você percebe que, embora se trate de uma corporação respeitada, os problemas são comuns, portanto, a recomendação das pessoas que simpatizam com o seu jeito de ser é que você aja com cautela e procure entender a cultura da organização enquanto a oportunidade e o reconhecimento não chegam.

Por essas e outras razões, quanto mais você absorver o clima organizacional, mais chances terá de apresentar a ideia certa, no momento certo, para a pessoa certa, entretanto, é necessário manter o foco e determinação naquilo que você pretende ainda que isso lhe custe a antipatia alheia.

Com tanta experiência acumulada e uma vontade incontrolável de fazer a diferença, você sente que tem condições de contribuir mais, porém fica dividido entre a recomendação dos colegas para se conter e o desejo de entrar na sala do chefe a fim de mostrar o quanto suas ideias podem transformar a empresa numa usina de negócios lucrativos.

Uau! Você chega a sonhar com isso.

Naturalmente, em função de tudo que você viu e ouviu, o ambiente de trabalho demonstra ser um celeiro de oportunidades e de mudanças na forma de realizar as tarefas e conduzir os negócios. Com um pouco de ousadia, sorte e discernimento, você acredita que pode se destacar no meio daquela turma de acomodados embora suas ideias sejam ofuscadas a todo instante pela incerteza da reação alheia. O que vão pensar os companheiros de trabalho que estão ali há anos? O que vai dizer o chefe?

Se tudo isso lhe parece familiar, não se desespere. Você faz parte de uma tropa de elite muito invejada nas organizações: a dos sonhadores. Existem outras igualmente rotuladas que tem tudo a ver com o seu jeito de pensar e agir, a dos otimistas e a dos realizadores, portanto, você não está sozinho.

A questão central é:

  • Ser diferente, mais ousado e participativo vai contribuir para o seu desenvolvimento profissional?

Outras não menos importantes são:

  • Como ser mais participativo sem parecer bajulador, atrevido ou prepotente?
  • Até que ponto suas ideias são interessantes e valiosas para solucionar os problemas da empresa?
  • Tomar a iniciativa fará alguma diferença nas decisões do líder?
  • Qual é o momento mais adequado para expor suas ideias: uma reunião de trabalho ou uma conversa particular com o chefe?

Acredite, não existe uma fórmula ideal para torná-lo mais participativo e reconhecido na empresa, mas as empresas estão desesperadamente corrente atrás de novas ideias. Cada profissional tem uma história de vida, um estilo, uma formação, um jeito de ser e de contribuir, portanto, as virtudes mais apropriadas para isso são ousadia e bom senso. Lembre-se: nenhuma empresa contrata alguém simplesmente para receber ordens.

As empresas anseiam por profissionais que cultivam o hábito de fazer bem mais do que aquilo para o qual estão sendo pagos. Pessoas com elevado nível de iniciativa, dedicação e ousadia serão sempre olhadas com mais atenção. Você conhece algum profissional que tenha sido promovido graças ao seu alto nível de pessimismo e falta de iniciativa?

Em qualquer profissão, é melhor se destacar pelo excesso de iniciativa do que pela falta dela, entretanto, para se obter sucesso na proposição de uma idéia e evitar dissabores, alguns pontos devem ser levados em consideração. Confira a seguir as dicas que poderão levá-lo a uma boa posição de destaque no ambiente de trabalho.

CHECK LIST DA BOA IDEIA
Dicas para ampliar o seu nível de confiança e de participação na solução de problemas relacionados ao ambiente de trabalho
  • Antes de apresentar uma idéia, estude-a com profundidade, avalie os prós e os contras e certifique-se de que a mesma é aplicável na empresa;
  • Demonstre conhecimento sobre o assunto; isso gera confiança, uma virtude indispensável para quem se propõe a “dar a cara para bater”;
  • Não existe idéia perfeita nem idéia completamente descartável, entretanto, seja original, simples e criativo; tome cuidado para não reapresentar uma idéia que não é sua;
  • Reflita sobre as questões que favorecem a aceitação de novas ideias: reduz custos? É inovadora? Aumenta o faturamento? Traz resultados em curto prazo?
  • Esteja aberto a críticas, contribuições e mudanças na concepção original, caso contrário, é provável que a idéia continue armazenada na sua mente por muito tempo.

 O mundo é repleto de profissionais que não fazem nada além do que lhe mandam e outros que fazem somente aquilo que lhe mandam, portanto, ter iniciativa e demonstrar interesse é ser diferente. E com bom senso, “ser, pensar e agir diferente” são requisitos essenciais para quem quer se destacar no ambiente de trabalho e conquistar definitivamente a confiança daqueles que esperam muito mais do que você imagina ser possível realizar.

Pensar Bold, ou seja, pensar de maneira ousada, é uma das dez competências do mundo do líder da 4a. Revolução Industrial, segundo pesquisa realizada pela Revista Forbes.

Quando Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Beto Sicupira criaram a Ambev, atual AB-Inbev, influenciados pelo Professor Vicente Falconi, a primeira ideia foi tornar a Ambev a maior cervejaria do mundo. Depois disso, todos nós sabemos o que aconteceu. A ousadia prevaleceu.

A maioria dos grandes líderes empresariais pensaram de maneira ousada e se tornaram referência como consequência da sua ambição criando produtos e serviços que beneficiam toda humanidade. Pensar bold e colocar a ousadia em prática requer uma mudança radical na estrutura de pensamento, não somente do líder, mas daqueles que pretendem fazer a diferença no mundo.

Pense Bold! Pense diferente! Seja ousado!

Quer saber mais? leia o meu artigo Atitude: elemento-chave para o desenvolvimento profissional

Comente

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *