Você merece aumento de salário?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Se existe uma questão polêmica e delicada nas empresas, essa questão aflora quando se trata de pedir aumento de salário. A maioria dos profissionais se diz insatisfeita com o salário e, obviamente, imagina que trabalha mais do que deveria e ganha menos do que merece.

As necessidades humanas são ilimitadas. Lembre-se daquela regrinha básica na economia: a sua despesa cresce na mesma proporção da sua receita, portanto, um simples aumento de salário não vai solucionar os seus problemas. São raros os casos em que o valor equivalente ao aumento salarial é automaticamente transformado em poupança em vez de ser utilizado para o início de novas dívidas.

Aumento salarial funciona muito bem quando você já está conseguindo sobreviver com o salário atual, caso contrário, para muitos, o valor será suficiente apenas para cobrir a despesa antecipada no cartão de crédito ou mediante o uso do limite do cheque especial.

Essa é uma das razões pela qual o gerente do banco adora você. Quanto mais endividado, maior a receita do banco, melhor o cliente. Entretanto, de acordo com Robert Kiyosaki, autor de Pai Rico Pai Pobre, “quando mais credores você tem, mais pobre você é”.

O fato é que num mercado extremamente competitivo, sempre existe alguém disposto a realizar o dobro do seu trabalho pela metade do seu salário, portanto, antes de pedir aumento, procure avaliar os prós e os contras da sua atividade. Aliás, se você fosse o chefe, você daria um aumento de salário a si mesmo por conta do seu desempenho?

Antes de pensar em “dar o bote” no chefe, uma auto-reflexão deve ajudá-lo a encarar essa difícil tarefa para evitar erros grosseiros do tipo “eu preciso de aumento” e outros argumentos ineficientes.

aumento-de-salario

Aumento de salário: o que levar em consideração na hora de pedir

1. Prepare-se:

Antes de abordar o chefe, mapeie o seu desempenho. Participação em projetos, resultados obtidos, indicadores, conhecimento da política salarial. Tudo é válido na hora da argumentação.

2. Programe-se:

Não aborde seu chefe no lugar errado e na hora errada. Marque horário com antecedência. O assunto é sério e exige formalidade quanto ao tempo e ao tratamento, isento de interrupções e longe da platéia.

3. Evite comparações:

Você não deseja aumento de salário porque os seus colegas ganham mais e sim porque tem o “hábito de caminhar um quilômetro extra”, aplica todo o seu potencial e sempre vai além do que é solicitado. Quem deve avaliar é o chefe.

4. Seja profissional:

Sua dívida não é problema do chefe, portanto, nada de mencionar carnês, empréstimos, limite de cheque estourado etc. Salário também é questão de disciplina, ou seja, de saber viver com o que se ganha.

5. Seja íntegro:

Nunca utilize o argumento “recebi uma proposta melhor”. Imagine que o chefe pode aconselhá-lo a aproveitar a oportunidade e você ficará sem saída, portanto, nada melhor do que a transparência, apesar de tudo.

6. Be quiet!

Salário é uma questão pessoal e diz respeito somente ao interessado. Cada profissional tem uma história na empresa, portanto, ninguém precisa ficar sabendo quanto você ganha nem quanto conseguiu de aumento.

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *