Todo dia é dia de mudança

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Todas as mudanças que ocorreram na minha vida foram importantes, porém algumas mais importantes do que outras. A maior de todas foi o dia em que eu decidi deixar a minha cidade, no interior do Paraná, para estudar e trabalhar na capital paranaense. Minha mãe se fechou no quarto e chorou escondido pensando que o mundo ia desabar, mas eu e ela conseguimos sobreviver, graças ao poder das mudanças e seus benefícios.

mudanca

Tempos depois, uma nova mudança ocorreu quando eu abandonei o emprego de auxiliar de escritório I, no extinto Banco Bamerindus, para assumir um cargo semelhante na Companhia Cervejaria Brahma, atual AmBev, ganhando três vezes mais, com a vaga já garantida, obviamente. Era o meu terceiro emprego numa empresa de porte e isso fez uma diferença razoável na contratação, além de uma boa indicação, sem dúvida. E eu nem sabia o que significava networking.

Na época, meu nome saiu até no jornal, por abandono de emprego, naturalmente, mas foi legal, pois ainda recebi uma boa indenização um mês depois da peripécia. Fiquei feliz da vida e de lá para cá nunca mais tive medo de mudar de emprego sempre que vislumbrava uma nova oportunidade de progresso.

Outra mudança importante ocorreu no dia em que eu decidi casar e, contrariando todos os prognósticos de amigos, conhecidos e familiares, creio que consegui me sair bem considerando que o casamento é um desafio para poucos afortunados dispostos a construir um relacionamento baseado em princípios. Isso faz exatamente 23 anos e continuo firme na estrada.

O lado bom do casamento é que ele requer mudanças com freqüência, paciência ao extremo, negociação o tempo todo e uma dose considerável de amor e carinho. Um bom salário ajuda, pois, como eu sempre digo, é preciso muito amor para sobreviver sem dinheiro, algo que o nosso mundo essencialmente materialista já não permite. Assim como o trabalho, a gente aprende a gostar do casamento.

Mudança inesquecível de verdade ocorreu há quase vinte anos, quando aluguei o apartamento do meu tio, por apenas seis meses, até que o meu primeiro apartamento, adquirido com lágrimas e sacrifício em apenas duzentos e quarenta suaves prestações do antigo BNH, ficasse pronto.

Nesse dia conheci o valor de uma boa amizade quando um amigo de faculdade, o pequeno grande Pedro, hoje feliz funcionário da Volvo, se dispôs a me ajudar na mudança de forma voluntária e despretensiosa, tendo por remuneração um sanduíche e uma coca-cola. Isso é o que se pode chamar de consideração pelos outros. Vez por outra aparecem pessoas na vida da gente que mudam a história dos acontecimentos e se tornam inesquecíveis.

Depois de um dia inteiro de idas e vindas no elevador partimos para o destino. Os únicos que não sabiam para onde estavam indo eram o Pedro e o meu sogro que seguiram dentro de um caminhão baú, no escuro, num calor dos diabos, direto para o novo local e só descobriram quando lá chegaram. Quanta indelicadeza de minha parte! Contudo, hoje damos boas risadas quando nos encontramos e ainda conseguimos lembrar cada detalhe daquele episódio digno de comédia.

A última mudança importante a ser mencionada foi quando aceitei o desafio de deixar o meu excelente emprego numa montadora de caminhões para compor a equipe de montagem de uma nova siderúrgica na Região Metropolitana de Curitiba. Minha missão era estruturar a área de suprimentos e logística, a qual eu não fazia a menor idéia de como devia funcionar, porém a vida é feita de desafios e, por razões que a própria razão desconhece, eu nunca consegui correr deles.

Nesse caso, o que importa são as pessoas que cruzam o nosso caminho e, quando você mais precisa e menos espera, elas aparecem para te ajudar. Devo reconhecer que algumas foram significativas durante a minha jornada profissional, dentre elas o Mário Martins e o Roberto Julio, um supervisor e um subordinado, em diferentes empresas e épocas, com os quais aprendi um bocado, apesar de todas as divergências que tivemos. Por razões diversas a distância nos separou e, por razões muito especiais, eu nunca perdi o respeito e a gratidão para com eles.

A gente não faz a mínima idéia de como as mudanças são significativas na nossa vida até o momento em que decide mudar. Nas palavras do grande poeta e dramaturgo irlandês, William B. Yeats, “quando você quer alguma coisa, todo o universo conspira a seu favor” e de acordo com Jim Rohn, escritor e palestrante, “tudo muda quando você muda”.

A atitude mais difícil do mundo é mudar. A segunda é mudar pela segunda vez. Da terceira vez em diante a gente vai tomando gosto e a vida se transforma num celeiro de oportunidades sempre que iniciativa, ousadia e ação tomam o lugar da procrastinação. Por experiência própria digo que pode ser ainda melhor quando você consegue se livrar da escravidão do controle remoto. Nesse sentido, a vontade de pensar e escrever me ajuda muito. Eu mudo sempre que contribuo para fazer a diferença na vida das pessoas através da literatura.

Mudanças significativas estão diretamente relacionadas com as nossas crenças e limitações. A única coisa com que estamos sempre lidando são os nossos pensamentos e, acredite ou não, nossos pensamentos podem ser modificados, se houver predisposição para mudá-los. Entretanto, deve-se ter consciência de que a força dos pensamentos negativos, por uma série de razões, exerce mais influência em nosso dia-a-dia do que os pensamentos positivos, portanto, o esforço necessário para reverter esse processo deve ser constante.

Parafraseando Louise L. Hay, escritora americana, “toda teoria do mundo é inútil a não ser que saibamos aplicá-la para alguma coisa”, portanto, o primeiro desafio é quebrar a nossa eterna resistência à mudança. Ninguém pode alcançar a paz de espírito sem a verdadeira consciência da mudança.

Pense nas inúmeras promessas que você já fez no início de cada ano e nas inúmeras vezes que você proferiu afirmações do tipo “nunca mais farei isso”, “de agora em diante vai ser diferente” ou a tradicional “segunda-feira eu começo”, porém antes de o dia terminar você já havia tomado um pote de sorvete, fumado um maço de cigarros e ofendido a pessoa que você mais admirava. Isso fez com que você triplicasse a carga de culpa que você já carrega.

De acordo com os especialistas, nada tem a ver com força de vontade ou disciplina. De fato, tentar eliminar o problema sem considerar a dissolução da causa é inútil. Entretanto, é melhor manter a disciplina, pois no instante em que você relaxa, o sintoma ganha força novamente. Por tudo isso, quero compartilhar com você algumas dicas para ajudá-lo a construir mudanças duradouras na sua vida pessoal e profissional, desde que você esteja propenso a mudar.

A mente é um instrumento precioso que pode ser utilizado da maneira que você quiser, portanto, o modo como você a utiliza nada mais é do que um hábito e hábitos, assim como os pensamentos, podem ser modificados;

Aquilo em que você se concentra cresce, portanto, concentrar-se em afirmações positivas tende a provocar mudanças mais significativas do que uma sucessão de farpas e reclamações;

Gostar de si mesmo é o verdadeiro combustível da mudança; você muda para melhorar a autoestima; baixa autoestima é sinônimo de infelicidade; autoestima elevada é sinônimo de mudança positiva e duradoura;

Como diz o ditado, a única certeza visível é a mudança, portanto, todo dia é dia de mudança; o exercício constante da mudança é um processo de aprendizagem que só poderá ser fortalecido com a prática.

Não conheço ninguém que não deseje mudar de vez em quando. Ter consciência de que você precisa mudar é a parte mais fácil. Saber por onde começar é a parte mais complexa, porém com o mínimo de planejamento e determinação as chances aumentam.

Eu levei um bom tempo para aprender a me concentrar nos resultados da mudança em vez dos sacrifícios que ela impõe. Mohamed Ali, o grande pugilista, afirmou tempos depois de se aposentar: “eu detestava cada minuto daquele treino, mas pensava comigo mesmo: treine agora e será um campeão para sempre”. De acordo com John Maxwell, escritor e conferencista, “se a mudança não lhe custar nada, então não é uma mudança de verdade”.

O mundo é repleto de pessoas que continuam casadas mesmo que não haja mais amor, de pessoas que continuam fazendo o que não gostam, de pessoas que continuam guardando roupas velhas e bugigangas que nunca serão utilizadas, de pessoas que continuam cercadas de pessoas que as atrasam e milhares de outras que continuam trabalhando em empresas que não dão futuro.

Reflita sobre isso e responda: o que o impede de ser diferente? Todo dia é dia de iniciar aquela mudança que você vem adiando há tempo. As palavras de John Greenleaf Whittier, poeta e escritor americano, escritas há mais de 150 anos, encerram a nossa lição de hoje: de todas as frases tristes, a mais triste é “eu poderia ter feito isso”.

 Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *