Pense diferente

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Pensar é algo que desafia o ser humano por si só, mas pensar diferente é ainda mais desafiador. Como diria Emerson, o grande pensador norte-americano, pensar é uma das coisas mais difíceis que existem e por essa razão poucos se dispõem a fazê-lo com maestria.

Pensar diferente é a base para a criação de uma marca pessoal. Significa sair da mesmice, destruir criativamente, demonstrar elevado comprometimento com os resultados, inovar sem perder a qualidade, adotar um determinado estilo de vida. Pensar diferente é a única maneira de se distinguir na multidão.

“Think Different” foi uma das campanhas de comunicação e marketing mais bem-sucedidas da história da Apple. Criada pela agência norteamericana TBWA e levada ao ar em setembro de 1997, a publicidade induzia o cidadão comum a interagir com a Apple e a participar da sua cultura.

Na ocasião, o tema da campanha homenageava personalidades históricas que, de certa forma, provocaram alguma mudança no mundo, pelo simples fato de pensar e agir de maneira diferente. De acordo com o anúncio, o Macintosh da Apple também inspirava e propiciava um tipo de criatividade similar para o cidadão que se arriscasse a utilizá-lo.

Personalidades importantes do passado como Albert Einstein, Martin Luther King, John Lennon, Richard Branson, Thomas Edison, Mahatma Gandhi, Bob Dylan e Pablo Picasso foram mencionadas na campanha. Eram os “malucos”, os “desajustados”, os “rebeldes”, os “problemáticos”, os que “não tem respeito pelo status quo”, os que “não seguem regras”.

“Você pode concordar com eles ou não, descrer deles, glorificá-los ou desprezá-los. A única coisa que você não pode fazer é ignorá-los, pois eles mudam as coisas. Eles inventam, imaginam, reconciliam, exploram, criam, inspiram e melhoram a raça humana.” – dizia o anúncio.

Steve Jobs, um dos fundadores e mentor intelectual da Apple, é um desses “malucos” que enxergam as coisas de maneira diferente. Em vez de perguntar “por que”, ele prefere perguntar “por que não”, afinal, quem poderia olhar para um girassol e tirar dali a inspiração para o monitor do Macintosh?

diferente

Pensar diferente é sustentar argumentos lógicos e incontestáveis que não costumam ser habituais nos outros. Talvez por isso admiremos tanto os filósofos, os inventores, os intelectuais em geral. Podemos não concordar com eles, mas falta-nos conhecimento para derrubar a sua proposição convincente. É mais fácil criticá-los do que entender a sua oferta de diferenciação.

A estratégia genérica da diferenciação, identificada por Michael Porter, professor da Harvard Business School, é uma das mais cobiçadas pelas empresas, mas poucos sabem utilizá-la. O esforço necessário para obtê-la é descomunal e vai além do jogo tradicional do mercado.

De maneira geral, diferenciação é a estratégia que mais se correlaciona com o sucesso e a obtenção dos resultados. Ser diferente proporciona vantagens competitivas distintas, poder, distanciamento da concorrência e posicionamento claro no mercado.

Provas incontestáveis de diferenciação nas empresas vêm da Apple, da Virgin, da 3M, da Sony, da Ferrari, da Segway e do Cirque Du Soleil. Além de pensar e agir diferente, seus fundadores nunca se acomodaram e construíram suas marcas em cima da inovação. Eles criaram seus próprios mercados.

Naturalmente, se vale para as empresas, vale também para as pessoas, afinal, as empresas são feitas por pessoas. Nesse caso, pense em Steve Jobs, Bill Gates, Dean Kamen, Bill Joy, Santos Dumont, Benjamim Franklin, Mark Zuckerberg e tantos outros para os quais não faltou tempo para pensar nem coragem para colocar em prática suas ideias.

De acordo com o Professor Roberto Álvarez Del Blanco, autor do livro Você – Marca Pessoal, pensar e agir diferente lhe permitirão construir uma marca pessoal digna de inveja se você utilizar alguns diferenciadores pessoais capazes de propiciar uma forte vantagem competitiva. Para Del Blanco, existem pelo menos seis características que conseguem a diferenciação por meio das pessoas. São elas:

  • Competência: possuir a capacidade e os conhecimentos requeridos.
  • Cortesia: ser amável, respeitoso e ter consideração pelos outros.
  • Credibilidade: alto nível de precisão.
  • Confiança: desenvolver atividades com consistência e confiabilidade.
  • Responsabilidade: responder agilmente a perguntas e questões colocadas.
  • Comunicação: esforçar-se para compreender e comunicar-se com clareza.

Assim sendo, avalie o quão distante você está de cada uma delas, ajuste o foco, melhore sua conduta e não deixe perseguir o sucesso. Lembre-se de que o futuro não vem em sua direção, ele se move na direção contrária, portanto, você precisa alcançá-lo.

Por fim, não basta ser melhor do que os outros. As pessoas precisam perceber quem você é. Quem procura pensar e agir diferente deve demonstrar essa singularidade.

Pense nisso e seja bem mais feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *