O que é consistência?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Há muito tempo desejava escrever um artigo relacionado ao conceito mais puro e prático de consistência, baseado em minha própria experiência de vida. Se você for buscar o significado no dicionário, talvez não consiga extrair uma mensagem capaz de lhe proporcionar direcionamento para uma vida mais rica e desafiadora e eis aqui o meu propósito.

Enquanto eu e você amadurecemos o conceito no decorrer da leitura, deixe-me relembrar a história de algumas personalidades influentes na história da humanidade através de perguntas de reflexão. A resposta é intuitiva por conta de tudo que você já leu e testemunhou a respeito, mas é necessário fazê-lo para fundamentar o conceito.

consistência

Lembra de ter lido a respeito de Madre Teresa de Calcutá fazendo algo contrário à sua vontade ou sua vocação durante os seus oitenta e sete anos de vida? Lembra de ter lido ou assistido algum filme em que Mahatma Gandhi tenha mudado de ideia a respeito da libertação da Índia do jugo inglês? Lembra de ter lido ou visto Nelson Mandela mudar de posição durante os vinte e oito anos em que ficou isolado nas prisões da África do Sul?

Agora, vamos migrar do altruísmo para o show business. Você sabe o que aconteceu quando Elvis Presley abandonou a música para arriscar-se no cinema? Embora eu seja um fã incondicional do artista e tenha assistido a maioria dos seus filmes, posso afirmar que ele nunca foi um artista tão bom no cinema quanto era diante do microfone ou de uma plateia.

Você consegue imaginar o Stallone e o Schwarzenegger fazendo sucesso em filmes que não sejam de ação? Julia Roberts fazendo papel de mulher feia na tela? Roberto Carlos tocando rock pesado? Ivete Sangalo fazendo novela? Imagine o Tiririca como deputado, o que pode dar isso? E a Hebe Camargo protagonista de um filme de ação?

O que vale para os artistas, empresários, cientistas e personalidades influentes da nossa sociedade vale também para o mais comum dos mortais. O fato de sermos bombardeados com frequência com promessas de sucesso instantâneo, satisfação imediata, alívio rápido e temporário, leva muitas pessoas a se desviarem do seu objetivo principal.

Dispomos de poucos mapas que nos ajudem a encontrar o caminho ideal, se é que temos algum. A mentalidade imediatista que assombra a nossa sociedade impede o desenvolvimento das competências do ser humano além de ameaçar sua saúde, educação, carreira, finanças e até mesmo o seu relacionamento pessoal e profissional.

Todos nós aspiramos ao sucesso em diferentes áreas da vida, entretanto, o caminho é longo e difícil e as recompensas nem sempre fáceis e rápidas. Dessa forma, procuramos trilhas diferentes, menos íngremes, e cada uma delas atrai certo tipo de personalidade, de acordo com a nossa zona de conforto.

Mudar o tempo todo por conta de qualquer dificuldade não vai ajudá-lo a atingir o nível da maestria. Você pode alcançar o sucesso temporário, entretanto, para mantê-lo, você precisa de consistência nas suas ações a vida inteira, além de caráter, força de vontade, atitude, imaginação e inteligência emocional.

Para fundamentar um pouco mais o conceito, quero relembrar as cinco diretrizes definidas por George Leonard, autor de Maestria: as chaves do sucesso e da realização pessoal, as quais se aplicam a qualquer mudança que, porventura, você queira realizar na vida. São elas:

Tome consciência de como funciona a homeostase: em síntese, espere resistência e coice. Se você começou algo errado, somente você poderá decidir e mudar, mas não se deixe levar pelo pânico tampouco desista ao primeiro sinal de apuro.

Esteja disposto a negociar com sua resistência à mudança: envolve a disposição de dar um passo para trás toda vez que der dois para frente e vice-versa. Você nunca sabe de onde virá a resistência, mas prepare-se para ela e aprenda a negociar com quem quer que seja.

Desenvolva um bom sistema de apoio: você pode fazer tudo sozinho, mas será de grande valia o apoio de pessoas que já passaram por algo semelhante, pessoas com quem você possa dividir as suas próprias histórias de mudança e ouvir as delas.

Siga uma prática regular: A prática é simplesmente um hábito, e toda prática regular fornece uma espécie de homeostase fundamental, uma base estável durante a instabilidade da mudança.

Dedique-se à aprendizagem a vida inteira: o aprendizado é muito mais do que aprender nos livros. Aprender é mudar e o aprendiz que nunca se cansa de aprender é essencialmente alguém que aprendeu a lidar com a homeostase, simplesmente porque o faz o tempo todo.

Com base nisso, você poderá decidir se quer realmente gastar o tempo e o esforço necessários para trilhar um caminho diferente toda vez que a mídia bombardear seus ouvidos com promessas de ganho rápido e fácil. Ser consistente, portanto, significa trabalhar duro, dedicar-se a uma causa e jamais perder o seu objetivo de vista.

Pense nisso e seja bem mais feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *