Muito além das promessas

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Há mais de cinco anos eu adotei o hábito de colocar no papel todos os meus objetivos para o ano seguinte e fui mais além ao colocar também alguns desejos para os próximos 5 anos embora os do ano seguinte, os de curto prazo, sejam aqueles de maior prioridade e sirvam de base para os anos vindouros.

Confesso que de lá para cá evoluí um bocado nesse sentido, ao atingir boa parte deles, contrário ao que afirmou John Lennon quando disparou a célebre frase “a vida é aquilo que acontece enquanto você faz planos”.

promessas

Graças a Deus, muita determinação e um relativo esforço, é óbvio, nos últimos cinco anos uma série de acontecimentos me fazem pensar que valeu a pena assumir o compromisso inequívoco comigo mesmo quanto ao que eu gostaria de fazer e de mudar na minha vida.

O fato de tê-los colocado no papel me permitiu canalizar a maior quantidade possível de energia para a sua realização. Apesar de não ter atingido todos, meu otimismo sempre me diz que alguns estão a caminho e outros devem ser trabalhados com mais afinco.

Por conta disso, eu consegui escrever e publicar 4 livros mais 2 em co-autoria, mudei para uma casa maior e melhor, iniciei e terminei o meu Mestrado, passei a lecionar em Universidades e Faculdades, criei um newsletter semanal com intuito de ajudar milhares de pessoas, visitei diferentes cidades e realizei mais de duzentas palestras, trabalhei em torno de 30 projetos como consultor, formei o meu filho mais velho e ainda consegui atingir o meu ultimo objetivo do ano, fazer o filho mais novo entrar na Universidade em 2009, além de outras coisas maravilhosas, pelas quais só tenho a agradecer aos céus.

Ao colocar os meus objetivos no papel e torná-los praticamente uma obsessão, cheguei a uma simples conclusão: é preciso crer para ver. Não basta trabalhar, ter sorte ou coisa que o valha. Nossa vida gira em torno de uma série de acontecimentos que dependem da época em que nascemos, do meio em que somos criados, das oportunidades que nos são oferecidas e, principalmente, das pessoas que cruzam o nosso caminho.

Depois de algum tempo, concluí também que não existe esse negócio de se fazer por si mesmo. Aqueles que obtêm sucesso na vida e no trabalho, embora trabalhem bastante, são favorecidos pelas circunstâncias ao seu redor e, de uma forma ou de outra, encontram alguém pelo caminho que lhes estende a mão e lhes abre as portas, ou seja, o sucesso é uma combinação de diversos fatores.

Existem milhares de pessoas na face da Terra, cujo talento nunca será favorecido pelas circunstâncias, lamentavelmente. Para que o mesmo não ocorra contigo, o melhor que você tem a fazer é colocar seus objetivos no papel. Digo isso não apenas porque alguém me disse ou me aconselhou a fazer, mas por experiência própria e conhecimento de causa. Quando você os coloca no papel, assume um compromisso irreversível de persegui-los até o fim da vida e se obriga a revisá-los diariamente enquanto o subconsciente trabalha silenciosamente para transformá-los em realidade.

Há muitos anos eu li um livro chamado A Lei do Triunfo, escrito por Napoleon Hill, o que, definitivamente, mudou a minha maneira de encarar as adversidades e de perseguir meus objetivos. Quando digo isso alguns céticos me olham atravessado e outros riem de mim, disfarçadamente, mas o que importa é eu aprendi a colocar meus sonhos no papel e, mais do que isso, aprendi a respeitá-los antes e depois de serem atingidos.

Pense em quantas promessas são feitas anualmente e morrem antes do fim do primeiro mês do ano novo. Nenhuma promessa será cumprida nem qualquer objetivo atingido se você não for além do papel. O plano de metas ou objetivos é o primeiro passo a ser seguido. Ele faz uma diferença significativa na sua vida, pois na medida em que o tempo vai passando, você vai lendo e relendo o plano e acaba incomodado quando as coisas não evoluem. Isso o obriga a sair da zona de conforto e redirecionar esforços.

Meus objetivos para o ano seguinte já estão definidos e para os próximos 5 anos foram revisados. Não posso perder de vista a minha visão e a minha missão de vida. Elas fazem parte do meu credo e da minha essência. Penso que o sucesso não está na realização propriamente dita, mas na tentativa, no erro, no cair e levantar, na persistência, na esperança.

No próximo ano você pode ir além das promessas. Seja fiel aos seus princípios e multiplique seus talentos. São eles que nos mantém vivos. As palavras de William Shakespeare encerram a nossa última lição do ano: “nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que poderíamos conquistar se não fosse o medo de tentar.”

Pense nisso e seja feliz para o resto da sua vida!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *