Manda quem pode, obedece quem precisa?

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Por vários lugares onde passei havia sempre um insatisfeito que parecia ter assumido o lugar do meu pai ao repetir esse mesmo ditado com frequência, mas não o condeno. Ele era feliz do seu jeito e, apesar dos revezes, sobreviveu e conseguiu criar os filhos com dignidade.

Embora as circunstâncias mudem e as oportunidades sejam mais frequentes, muitos profissionais ainda se submetem a essa filosofia de vida, por medo, insegurança ou mesmo zona de conforto, enquanto o verdadeiro potencial vai lhe escapando pelo vão dos dedos sem que os mesmos sejam capazes de esboçar a mínima reação.

O fato de não ter conseguido me livrar definitivamente desse ditado me fez reconstruí-lo a fim de torná-lo mais digerível, pois leva-se muito tempo para destruir alguns paradigmas plantados em nossa cabeça involuntariamente.

Hoje, cada vez que alguém dispara essa máxima perto de mim – manda quem pode, obedece quem precisa –, eu nunca deixo de complementar: “e muda quem tem juízo”. Digo isso por experiência própria, ninguém me ensinou.

Conheço um número razoável de profissionais que deram a volta por cima e, a despeito de todas as dificuldades encontradas no caminho, tiveram a coragem de se reposicionar no mercado de trabalho para conquistar um lugar ao sol.

Por iniciativa própria, uma boa parte deles se libertou optando por uma renda menor ao reconsiderar o fato de que o dinheiro jamais compensaria a ausência de qualidade de vida e de paz de espírito.

Manda que pode, obedece quem precisa

Apesar de contraditório, o mundo é repleto de oportunidades e, por menos conhecimento que alguém possa apresentar sobre determinado assunto, existe uma força sobrenatural dentro de cada ser humano capaz de transformá-lo em exímio conhecedor daquilo que ele estiver realmente determinado a realizar.

É praticamente impossível o universo não trabalhar a seu favor se você estiver convicto de que as adversidades são condições temporárias e que a força de vontade e a determinação são as únicas virtudes capazes de recolocá-lo num ambiente mais merecedor da sua energia, da sua inteligência e da sua valiosa companhia.

Olhe ao redor e admire a legião de profissionais que abriram mão de um cargo altamente promissor em grandes corporações e seus respectivos benefícios em troca de mais dignidade, mais qualidade de vida e mais tempo para a família.

No meu círculo, por exemplo, vários amigos pararam de brigar consigo mesmo, com o chefe e com a conta bancária partindo para uma missão diferente muito antes de você esboçar a primeira reclamação.

Contudo, ainda existem inúmeras empresas onde o ditado prevalece, por pouco tempo, creio eu. Hoje, manda quem pode, obedece quem precisa e muda quem tem juízo, pois as pessoas já se dão conta de que é necessário evitar ambientes onde o regime feudal deixou resquícios.

Eu sei que você tem juízo e vai mudar, se necessário, entretanto, deixe-me compartilhar alguns insights que poderão transformar o seu ritual diário de crenças negativas em verdadeiros insights para o crescimento pessoal e desenvolvimento profissional. Espero que lhe sejam úteis. Vejamos:

  1. Ninguém tem o direito de ferir a sua dignidade; quando sentir que o ambiente está afetando a sua autoestima e a sua dignidade, você tem três opções: você muda de ambiente ou enfrenta o problema ou para de reclamar para sofrer menos do que o necessário; a primeira é mais gratificante.
  2. Considere que poucos líderes estão preparados para enfrentar o diálogo aberto e consistente quando alguém questiona o clima organizacional; quando isso ocorre, geralmente eles são pegos de surpresa; você conhece algum chefe propenso a admitir sua maneira equivocada de conduzir a equipe?
  3. Mudar é mais difícil do que se imagina; é muito mais prático suportar a pressão e chorar sozinho do que perder o emprego, o crachá e o plano de saúde, portanto, releve certas coisas e seja menos rígido na avaliação; digo isso porque já fui mais rígido do que o necessário e isso não me ajudou em nada, ao contrário, paguei um preço alto pela minha rebeldia.
  4. A vida é uma experiência, dizia Emerson, e quanto mais experiências você tiver, melhor. Não olhe para o passado nem crie imensas perspectivas para o futuro, mas continue caminhando e procure ser feliz no presente. O futuro demora para chegar.
  5. Lembre-se de que nem tudo é para sempre e, felizmente, a vida é feita de mais momentos alegres do que tristes.

A angústia da vida profissional é eterna e quanto mais você reforça o ditado, mais sofre. Por mais recompensadora que possa parecer, a aposentadoria será o início de novos dilemas que surgirão com a idade e com a eterna necessidade de se sentir útil perante a sociedade.

Como diz o César Souza, autor de Você é o tamanho dos seus sonhos, se você não existisse, o universo não seria o mesmo. Portanto, pare de sofrer por pequenas coisas e comece a provar a si mesmo que você é superior a tudo isso. Tenha juízo, mude quantas vezes for necessário.

Nada resiste ao trabalho e ao desejo irreversível de prosperar na vida. Se você mantiver uma postura firme ao longo do caminho e assumir o compromisso de aprender todos os dias, ainda que você tenha de cair e levantar inúmeras vezes, o sucesso é apenas uma questão de tempo.

Pense nisso e seja bem mais feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *