Indicadores de sucesso

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Você já ouviu falar de Aishwarya Rai ou de Shilpa Shetty? Alguma vez na sua vida você já assistiu a um jogo de futebol entre Al-Hilal e Al-Ahli? Por acaso você é fã de Köji Yakusho ou de Hiro Mizushima? Ainda não? Caso você não saiba, estou falando das duas atrizes mais famosas da Índia, dois times entre os mais influentes da Arábia e dois artistas famosos no Japão.

Por que você talvez ainda não tenha ouvido falar deles? Um dos motivos é porque o sucesso depende apenas de fatores que dizem respeito ao lugar onde você nasceu, ao meio onde foi você criado, à cultura onde você foi inserido e às oportunidades que foram ou não aproveitadas em sua vida.

Somos todos iguais mesmo tendo nascido sob diferentes condições de vida e em diferentes países. É o que garante a maioria das democracias e das religiões existentes ao redor do mundo. Somos também iguais na hora de partir. Não importa o nível de educação alcançado nem o volume de dinheiro acumulado.

O fato é que mesmo nascendo iguais perante a lei de Deus e dos homens, somos capazes de nos diferenciar ao longo de toda uma existência. Essa diferença, representada por valores exclusivamente pessoais, é o que costumamos chamar de sucesso ou de fracasso.

O que significa sucesso para você?

Imagine que você tivesse nascido em uma família diferente, numa cidade diferente e com um sobrenome diferente. Será que você estaria fazendo o mesmo sucesso que faz hoje? Até que ponto isso teria influenciado o seu sucesso? Essa questão do sucesso teria importância para você?

Agora, imagine se o Pelé tivesse nascido na China, o Michael Jordan na Indonésia e o Airton Senna na África. Possivelmente, eles nunca teriam conseguido o mesmo lugar de destaque no mundo. Eles dependeriam de uma combinação de fatores para chegar aonde chegaram.

Em síntese, mesmo tendo nascido na época certa, eles teriam nascido no país errado, pois não haveria em seus respectivos países grupos de referências para facilitar a comparação bem como elevar e aferir o indiscutível talento de cada um.

Sucesso e fracasso são os extremos em qualquer espécie de agrupamento existente na sociedade. Embora milhões de pessoas desejem incondicionalmente o sucesso, a maioria encontra-se na média. Existe explicação para isso? Será que uns nascem para o sucesso e outros para o fracasso?

Talento, sorte e oportunidade não poderão distanciá-las da média se não estivem intimamente ligados. Individualmente, serão apenas eventos relativos na história de qualquer cidadão que dependem de outros fatores para frutificarem. No momento em que passamos a entender isso, o conceito de sucesso muda.

sucesso

Sucesso e fracasso também dependem muito do grau de importância que se atribui a eles. O fato de não ter acumulado uma fortuna, não ter ocupado um cargo importante nem ter se destacado nos esportes não significa nada, portanto, não se frustre ao ler histórias de pessoas sucesso. Ao contrário, inspire-se nelas, mas lembre-se de que cada um faz a sua própria história e o sucesso é um conceito muito relativo.

O que nos diferencia das demais pessoas na face da Terra?

O que nos diferencia dos demais é o grau de sucesso alcançado dentro da nossa própria cultura, religião, empresa, cidade, estado ou país. Pouco importa o nível social. Se importasse, Madre Teresa de Calcutá nunca teria sido recebida pela Rainha da Inglaterra nem o Ronaldo Fenômeno pelo Papa João Paulo II.

Isso significa que você pode ser um faxineiro, um auxiliar de cobrança ou um cozinheiro de sucesso. Tome por base o exemplo de pessoas desconhecidas que dão um show de flexibilidade e desenvoltura durante os desfiles de carnaval em diferentes lugares do Brasil. Em determinada fase da vida, não importa onde você viva, você estará fazendo sucesso.

De acordo com Robert Wong, conferencista e autor do livro O sucesso está no equilíbrio, você pode escolher o sucesso se decidir escapar da média. Para Wong, nossa evolução social está diretamente associada à maneira com que nos relacionamos com nossos pares dentro dos grupos de referência.

Portanto, para cultivar o sucesso, você deve conhecer profundamente os seus próprios indicadores de sucesso. Quais são os seus valores, as suas vantagens competitivas, os seus modelos de referência? Com quais amigos você pode contar na hora da festa ou na hora da dor? Qual é mesmo o seu conceito de sucesso?

Quais são os seus próprios indicadores de sucesso?

Acredite ou não, a resposta para essa questão é fundamental. Se você se basear apenas em ideias, conceitos e referências e valores definidos pela mídia, a frustração será inevitável. Existe sucesso longe das revistas, da televisão e da Internet.

Entender os seus próprios indicadores vai ajudá-lo a manter o foco, a disciplina e a determinação necessários para a conquista do sucesso. Como isso é uma questão pessoal que depende de vários fatores, compartilho com você aquilo que, por experiência própria, entendo como a base do sucesso.

Ter sucesso é ter disciplina: o mundo está repleto de pessoas de sucesso, produzidas todos os dias pela mídia, porém vazias, sem objetivos, inconsistentes. Uma existência plena, segura, confortável e comsucesso exige muita disciplina.

Ter sucesso é ter amigos: imagine-se com oitenta ou noventa anos de idade. Com quantas pessoas você poderá contar para amenizar os dias nem sempre animadores da velhice?

Ter sucesso é ter valores bem definidos: o que realmente importa para você? Dinheiro, fama, bens materiais, amigos, conhecimento, família? Seus valores são mais fortes do que a sua ambição?

Ter sucesso é ter opinião própria: quanto menos você acredita em si mesmo, mais refém se torna dos pensamentos alheios. Consistência e integridade são fundamentais para manter um posicionamento sólido.

Ter sucesso é ter escolhas: se você não consegue fazer suas próprias escolhas, não há muito que pensar. Escolher, decidir e mudar sem ser escravo das escolhas alheias é fundamental para o sucesso.

Ter sucesso é ter consciência do seu papel no mundo: fazer mais do que o necessário, caminhar um quilômetro extra, contribuir mais do que você pode, viver para transformar o ambiente, não apenas para ganhar dinheiro ou ser transformado por ele.

Avalie o que é melhor para você, não se deixe levar pelas circunstâncias e fuja da mediocridade. Uma vida mediana não leva ninguém ao sucesso. Por isso é chamada de mediana. Por fim, lembre-se de que o sucesso não está apenas na conquista, mas na luta, no esforço e na disciplina empenhada ao longo de uma vida inteira.

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *