Filosofia de vida empreendedora

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Não há filosofia empresarial que resista sem resultados (lucros) e, ao mesmo tempo, não há empresa que resista sem uma filosofia de trabalho, em geral muito bem fundamentada em sua visão, missão e valores claros para a sociedade e para os seus empregados. Esse é um dos motivos pelo qual eu acredito piamente na importância das diretrizes estratégicas, algo que, infelizmente, uma boa parte das empresas e dos empresários não entende ou, quando entende, não leva tão a sério quanto deveria.

De acordo com Ken Blanchard, autor de Liderança de Alto Nível, “lucro é o aplauso que você recebe por cuidar bem de seus clientes e por criar um ambiente motivador para o seu pessoal.” Peter Drucker, um dos maiores pensadores da administração, compartilhava da mesma filosofia, expressa de maneira diferente, porém com a mesma essência: “lucro é o subproduto das coisas bem feitas”. Em síntese, cuidar bem dos seus clientes, fazer as coisas bem feitas e criar um ambiente motivador para os seus colaboradores são reflexos de uma filosofia de vida empreendedora.

Uma das perguntas que costumo fazer com freqüência nos meus cursos de planejamento estratégico ou de desenvolvimento gerencial diz respeito à visão, à missão e aos valores da empresa. Acredite: menos de 10% dos participantes sabe do que se trata. Muitos já ouviram falar, outros nunca ouviram falar e boa parte me olha com desdém afirmando que isso é bobagem, como me disse certa vez o empregado de uma corporação multinacional: “desculpe, professor, mas esse negócio de visão e missão é uma grande babaquice, o que importa mesmo é o resultado final”.

Eu estava inspirado naquele dia e a resposta foi simples e direta: “realmente, no seu caso não importa mesmo, afinal você está há mais de 25 anos na função esperando a aposentadoria chegar. Duvido que o seu patrão compartilhe da mesma idéia considerando que ele criou um império ao redor do mundo.”

filosofia-de-vida

Eu poderia ter sido menos rude e mais efetivo, pois tudo depende de o que ele entende por visão e missão. Lamentavelmente, a maioria das pessoas pensa exatamente igual a ele, pois muitos ainda continuam trabalhando naquela empresa apenas para sobreviver, outros para pagar as contas e outros porque não encontram coisa melhor. E como eu sempre repito, não há nada pior do que trabalhar para uma empresa onde o sentido de realização e o de contribuição são nulos.

Tudo começa com uma visão. A máxima do planejamento estratégico continua muito atual: se você não sabe para onde vai, qualquer lugar serve. E mais, se o seu pessoal não sabe para onde vai, sua liderança não fará a menor diferença, portanto, pensar estrategicamente significa criar um propósito significativo para o seu negócio. Líderes como Silvio Santos, Rolim Amaro, Sam Walton, Maurício Klabin e Jack Welch sabiam exatamente onde queriam chegar quando ao tomar a sábia decisão de se tornar uma referência em seu mercado de atuação e de criar valor para o seu negócio.

Quando eu circulo pelas empresas, geralmente, procuro localizar aqueles quadrinhos pendurados com a missão, a visão e os valores da organização. Se você prestar atenção, mais de 90% das pessoas que trabalham na organização não sabe para que serve, não sabe quem criou e não sabe como aquele conteúdo ali expresso pode fazer a diferença entre as empresas que admiramos, e sempre recomendamos aos amigos, e as empresas que odiamos e, pela mesma razão, não recomendamos nem para os inimigos.

Uma filosofia de vida empreendedora pode existir em qualquer parte da organização. Você não precisa esperar nem depender de uma visão organizacional para começar a praticá-la na área ou no setor onde trabalha, afinal, princípios, valores e virtudes valem tanto para sua vida pessoal quanto profissional. Ter uma filosofia de vida empreendedora significa ter um norte para as suas ações, uma noção mais clara do futuro, um propósito de vida.

Um negócio bem-sucedido não depende apenas de estratégia, máquinas, equipamentos ou capital de giro. Tudo isso é importante, mas o propósito de uma organização vai além dos lucros e o que projeta uma empresa para frente não são apenas os lucros, mas os princípios e os valores baseados numa filosofia de vida empreendedora.

Qualquer ser mediano pode criar uma empresa e ter sucesso por algum tempo, porém nenhum deles consegue sustentá-la sem uma missão e uma visão que realmente funcione. Lembre-se de que uma visão e uma missão independem da sua posição na empresa, portanto, não espere que o planejamento estratégico resolva aquilo que não está na essência do seu negócio.

Na primeira metade do século passado, empresas como 3M, Johnson & Johnson, Ford, Sony, Honda e tantas outras não sabiam o que era planejamento estratégico, entretanto, seus idealizadores tinham muito claro em mente aquilo que desejavam para o futuro. Portanto, pense diferente, tome a iniciativa e crie valor para sua empresa.

Para encerrar a lição, quero compartilhar aqui os 3 elementos-chave de uma visão arrebatadora, definidos por Jesse Stoner e Drea Zigarmi, pesquisadores do assunto. Isso contempla boa parte da filosofia de vida empreendedora defendida no meu novo livro, Manual do Empreendedor. Se você conseguir definir claramente a resposta, sua vida e seu empreendimento têm boas chances de prosperar.

Propósito significativo: qual é o seu negócio?

Uma imagem clara do futuro: como será seu futuro, no caso de ser bem-sucedido?

Valores claros: o que guia seu comportamento e suas decisões diariamente?

Pense nisso, empreenda e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *