Expectativas irreais

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

De acordo com Albert Ellis, famoso psicólogo e psicoterapeuta norte-americano, a estrada para o inferno é feita de expectativas irreais. Com base no estudo dos comportamentos inadequados do ser humano, Ellis mapeou uma série de crenças irracionais e desenvolveu a Terapia do Comportamento Emotivo Racional (REBT – Rational Emotive Behavior Therapy) com o propósito de eliminá-las.

Contrário aos ensinamentos de Freud, o pai da psicanálise, Ellis afirmava que os modelos psicanalíticos são uma total perda de tempo. O ideal seria que as pessoas adotassem comportamentos mais apropriados para o desenvolvimento do sucesso em vez de questionarem anos e anos a origem de tais comportamentos, como sugere a psicanálise.

Para Ellis, ao analisar comportamentos inadequados e mapear as crenças irracionais que servem de base para eles, seria possível destacar também as consequências óbvias desses comportamentos. A partir do diagnóstico, seria mais fácil tentar um processo de reversão, estabelecer novas crenças e desenvolver um comportamento mais apropriado à realidade do ser humano e que proporcionasse menos sofrimento.

Em geral, Ellis tratava os distúrbios emocionais seguindo a técnica ABC, a qual ensina que, através de modelos cognitivos, as pessoas podem se conscientizar de que é possível superar suas próprias inibições ou limitações, através da detecção de “pensamentos contraproducentes” e das crenças irracionais subjacentes que recaem sobre as pessoas e não sobre os fatos.

De acordo com essa técnica, uma crença irracional pode ser identificada da seguinte forma: toda crença (Belief) possui um fato motivador (Adversity) que gera uma consequência (Consequence). Exemplo: se você possui um filho que chega sempre de madrugada e levanta tarde (adversidade), tende a acreditar que ele é vagabundo (crença irracional) e começa a implicar com ele até que isso se torne insustentável. Nesse caso, há um sentimento de angústia ou de raiva em relação ao fato e à pessoa (consequência).

Toda crença começa com um simples desejo ou interpretação sobre os fatos. Há uma tendência legítima de o ser humano transformar o simples desejo em desejo mais intenso, o que o leva a criar expectativas irreais sobre determinados eventos ou situações e isso passa a ser uma exigência. A partir daí, dependendo da carga emocional imposta sobre o desejo, a situação pode agravar-se e tornar as consequências desastrosas.

expectativas

Isso justifica em parte a motivação para muitos crimes e outras atitudes impensadas do ser humano. Pensamentos distorcidos, expectativas não atendidas, desejos impossíveis, crenças irracionais em geral, criam emoção negativa e rótulos desnecessários sobre determinados eventos e situações. Pessoas que não sabem ou não conseguem separar o problema prático do problema emocional tendem a manifestar comportamentos inadequados.

Entender a origem e as consequências do comportamento humano em qualquer situação é imprescindível para o sucesso pessoal e profissional. Quanto mais você entende de comportamento, mais você compreende as pessoas e menos tendencioso se torna ao prejugalmento. Alguns insights são extremamente vitais para a destruição das crenças irracionais e vale a pena refletir sobre isso:

Emoção e comportamento negativo não são causados por eventos, mas pela crença irracional rígida sobre determinados eventos.

Exemplo: o fato de alguém jogar futebol todo sábado de manhã com os amigos de trabalho e extrapolar na cerveja uma vez ou outra não significa que ele está em companhia de bêbados irresponsáveis. O rótulo ao grupo e a carga de emoção atribuída ao evento geram falsas expectativas ou expectativas irreais, responsáveis pela destruição de muitos relacionamentos e amizades.

Embora as pessoas sejam julgadas pelos seus resultados, inclusive você, elas não são os seus resultados.

Exemplo: o fato de você não ter atingido uma meta profissional ou financeira em determinado momento não significa que você é incompetente. A sua essência não muda por conta do seu sucesso ou do seu fracasso, portanto, redefina a meta e siga em frente.

Quando você julga o “pecador” e não o “pecado”, sofre mais do que o necessário.

Exemplo: o fato de um funcionário ter chegado três vezes atrasado ao trabalho em menos de um mês não significa que ele é irresponsável. Esclareça as expectativas, reposicione o sujeito ou substitua-o e você resolverá o problema. Deixe-o ser feliz em outro lugar.

Crenças irracionais e pensamentos são alimentados ou eliminados por questionamentos repetitivos.

Exemplo: partindo-se do pressuposto de que você é aquilo que pensa, quanto mais pensamentos negativos e crenças irracionais você tem, menor a chance de eliminá-los. Como dizia Ford, se você pensa que pode ou pensa que não pode, de qualquer maneira você está certo.

Por fim, se você identificar suas crenças irracionais, torna-se mais fácil opor-se a elas e substituí-las por pensamentos e crenças mais úteis que reduzem a sua ansiedade e mudam a conclusão equivocada sobre os acontecimentos. Eu você gostaríamos que o mundo fosse muito diferente, entretanto, a realidade é o que é e não aquilo que nós gostaríamos que fosse.

Pense nisso, sofra menos, faça a parte que lhe cabe e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
2 Comments

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *