Eu queria tanto empreender

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Empreender é uma atividade empolgante e ao mesmo tempo desafiadora. Pessoas que empreendem desenvolvem melhor as habilidades de liderança, a capacidade de resiliência, o relacionamento interpessoal e a capacidade de negociação e acabam se tornando muito mais eficientes do que a maioria das pessoas.

A capacidade de empreender está diretamente relacionada com o seu modelo mental construído ao longo da mais tenra infância. Tem a ver com os estímulos que você obteve quando era criança, com os professores que apoiaram a sua iniciativa, com os amigos que você cultivou e, principalmente, com o aproveitamento das oportunidades que surgiram ao longo do caminho.

Todas as pessoas nascem com algum talento natural em diferentes áreas da vida: música, escrita, oratória, esportes, artes em geral. Contudo, isso não garante a ninguém, por mais habilidoso que possa parecer, o sucesso imediato. A maioria leva muito mais tempo do que gostaria para encontrar a verdadeira vocação. É uma realização psicológica rara e difícil, segundo Abraham Maslow, psicólogo norte-americano.

empreender

Em primeiro lugar, é necessário descobrir o seu talento natural, a sua vocação, o que o faz levantar da cama sem corpo mole. Em segundo lugar, é necessário preparar-se para refinar o talento e a forma de conduzi-lo para colocá-lo em prática em benefício da sociedade.

Não basta encontrar o diamante, é necessário lapidar para torná-lo mais atrativo e valioso. Da mesma forma, não basta ter ouvido para música, é necessário treinar o ouvido, estudar música, saber colocá-la no papel e executá-la com maestria.

Por fim, ainda que você tenha tudo isso, é necessário encontrar alguém com dinheiro para comprar o seu diamante ou alguém com disposição para ouvir a sua música. Na prática, você precisa cavar uma oportunidade num ambiente de extrema competitividade.

O que fazer então? Não existe segredo nem fórmula mágica para empreender. Como diria Jeffrey Timmons, estudioso do assunto, o grande segredo é que não há segredo, portanto, você deve escutar a sua própria voz. Você pode experimentar vários caminhos que poderão levá-lo a algum lugar, mas você não pode deixar de experimentar, caso contrário, nunca vai encontrar a sua própria voz.

Aqui vão algumas dicas de quem já participou da elaboração e orientação de mais de uma centena de planos de negócio. Leia com carinho, no mínimo vai fazê-lo pensar a respeito. Qualquer negócio passar por essas sete fases. Algumas podem ser abreviadas e retomadas posteriormente, mas estarão sempre presentes no desenvolvimento do seu negócio.

  1. Tenho uma ideia! E daí? Já colocou no papel, rascunhou o modelo de negócio, leu alguma coisa a respeito do segmento, desenvolveu o modelo Canvas, pensou num plano de negócio?
  2. Já fiz tudo isso! Uau! E daí? Já trocou ideia com alguém, possui dinheiro para investir, começou a estruturar um plano básico de negócio, procurou o Sebrae?
  3. Fiz um plano de negócio! E daí? Já apresentou para alguém, pesquisou um Angel Investor, encontrou um sócio, falou com o papai, vendeu um imóvel para investir?
  4. Tenho o capital inicial! E daí? Já encontrou o local, começou a pesquisar sobre a mão-de-obra inicial, tem certeza de que é isso mesmo que você quer?
  5. Agora não tem mais jeito! E daí? Pediu demissão, separou uma reserva técnica para sobreviver por alguns meses e anos, em caso de demora no retorno, está realmente disposto a dar dois passos para trás para saltar quatro para frente?
  6. Estou livre, vou ser dono do meu próprio nariz! Hum, sei não! Comece a praticar a arte do desapego e não olhe para trás, esqueça o salário fixo, o décimo terceiro, o crachá, o plano de saúde e os benefícios.
  7. Mãos à obra, vai começar a batalha! Arregace as mangas, levante todo dia como se fosse o último e nunca mais perca o seu objetivo de vista.

As palavras de Mark Twain encerram a nossa lição de hoje: o segredo de ir em frente está em começar e o segredo de começar está em repartir suas tarefas complexas e esmagadoras em tarefas pequenas e administráveis e, então, começar pela primeira, portanto, pare de querer e comece a agir.

Pense nisso e empreenda mais e melhor!

Leia também: Empreendedorismo para jovens

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *