A empresa dos sonhos

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Durante as minhas andanças pelas empresas ou mesmo após as palestras e treinamentos, sou abordado com frequência por profissionais que confidenciam abertamente a sua insatisfação com o emprego atual e, por sua vez, a vontade de trabalhar naquilo que imaginam a empresa dos seus sonhos.

Quando pergunto a eles a ideia que fazem a respeito da empresa dos sonhos, invariavelmente, a resposta transita por gigantes como a Google, Microsoft, Apple, IBM e outras genuinamente brasileiras como a Rede Globo, Ambev, Natura, Votorantim, ALL e Boticário, entre outras. Acredite se quiser, mas conheço pessoas que trabalharam em várias empresas como essas e saíram desencantadas com o mito. Algumas detestaram.

Quer dizer que essas empresas são ruins para trabalhar? É óbvio que não. São excelentes em algum aspecto, de alguma maneira, em algum momento, para alguém, mas não para todos. Em geral, a frustração ocorre pelo fato de as pessoas alimentarem falsas expectativas em relação ao que a empresa pode fazer por elas em vez de se apegarem ao conhecimento a ser adquirido nessas empresas, o qual poderá ser levado para o resto da vida.

empresa-dos-sonhos

De fato, o pensamento das pessoas está sempre voltado para o salário, os benefícios e o prestígio que se pode conquistar ao trabalhar em empresas de projeção nacional e internacional. É muito mais interessante, desafiador e tentador começar numa empresa grande e consolidada do que trabalhar em empresas que ainda estão tentando se encontrar no mercado.

Para muitos, a empresa em que trabalham não é uma simples questão de escolha, mas uma questão de necessidade ou de sobrevivência. Para outros, falta de opção, de amor próprio, de orientação, de ambição e, por vezes, um completo desinteresse, por assim dizer.

Encontrar a empresa ideal para trabalhar é o sonho de inúmeros jovens profissionais que ingressam no mercado de trabalho todos os anos. Este sonho pode durar muito tempo e custar vários empregos até que o profissional, agora já não tão jovem quanto antes, passa a se conformar com a ideia de que a empresa dos sonhos não existe.

Infelizmente, a maioria das pessoas nunca consegue tamanha proeza, pois deposita suas esperanças apenas na própria sorte, na empresa, no chefe ou nas forças divinas em vez de puxar a responsabilidade para si mesmo. Um prêmio como esse não pode ser transferido a terceiros, pois está diretamente relacionado com a capacidade individual de realização de cada ser humano.

Trabalhar em algo que nada tem a ver com a sua vocação original é uma dura realidade para quem passa a vida correndo atrás do sonho fazendo as mesmas coisas, porém esperando resultados diferentes. Quando isso acontece, torna-se impossível encontrar a empresa ou emprego dos seus sonhos.

A empresa dos sonhos nada tem a ver com o número de empregados, o valor do faturamento, o volume de vendas e os salários oferecidos. Tem a ver com a forma de tratamento, o ambiente de trabalho, as perspectivas de crescimento, o sentido de contribuição e a capacidade de realização proporcionada para todos os colaboradores e para a sociedade.

Assim sendo, você precisa reduzir a ansiedade em relação ao que o mercado pode lhe oferecer e, mais importante ainda, em relação ao que você pode extrair dele. A vida é difícil para todo mundo, portanto, encontrar a empresa dos sonhos não é tão simples assim. Você precisa ultrapassar a barreira da vontade para atingir o estágio da força da vontade.

De acordo com Albert Ellis, psicólogo norte-americano, “Obter e manter a força de vontade requer pensamento, sentimento e comportamento. Seu poder inclui a determinação para fazer alguma coisa, o conhecimento de como fazê-la, as atitudes a serem tomadas, a persistência para seguir adiante a perseverança ao longo do processo de escolha.” Isso vale para qualquer área da sua vida.

Se você ainda não encontrou a empresa dos seus sonhos e conhece alguém na mesma situação, deixo aqui algumas dicas que poderão ajudá-lo nesse processo de busca. Isso pode representar toda a diferença em encontrá-la o mais breve possível ou ficar querendo para sempre. Leia e absorva-as com atenção:

• Mesmo que sua empresa atual seja uma experiência excepcionalmente ruim, você ainda é capaz de encontrar alegria na vida, na família, nos amigos e no próprio trabalho; a vida não é só trabalho e o trabalho não é toda a sua vida;

• Procure aceitar – ainda que você não goste – a empresa e o trabalho que você escolheu, e se concentrar em atividades e circunstâncias que lhe proporcionem prazer, satisfação e alegria a fim de evitar desperdício de energia em dores, frustrações e limitações;

• Tenha em mente o fato de que, por mais dolorosa ou pior que seja a situação em que você se encontra, nada é verdadeiramente horrível ou insuportável. Algumas pessoas chegam a sentir saudades daquele clima de terrorismo corporativo quando estão desempregadas;

• Nunca desista e mantenha o moral elevado enquanto tenta encontrar uma empresa que lhe proporcione satisfação profissional. Há sempre um lugar disponível e mais apropriado ao seu jeito de ser e de fazer, portanto, depende muito mais de você do que das empresas.

As palavras de Reinhold Niebuhr, filósofo e teólogo norte-americano, encerram a lição de hoje: “Tenha coragem para mudar as coisas que podem ser mudadas, serenidade para aceitar (não para gostar) as coisas que não podem ser mudadas, e sabedoria para distinguir uma da outra.”

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *