Empreenda e dê adeus à zona de conforto

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Esse artigo faz uma breve reflexão sobre os perigos da zona de conforto e as mudanças positivas que o empreendedorismo pode fazer na vida das pessoas. Empreender é colocar o fim na zona de conforto.

Já escrevi em outro artigo que, em geral, o que o ser humano mais deseja é um emprego duradouro, benefícios de toda ordem e uma perspectiva de mais ou menos trinta anos de trabalho até chegar o dia em que começa a feliz aposentadoria.

Isso acontece com alguns funcionários públicos que estudam anos para passar num concurso. Depois de se dar conta da realidade à sua volta, perdem a motivação, tornam-se fantasmas remunerados, conspiram o tempo todo contra o governo e envolvem-se em atividades paralelas. Assim, ficam contando os dias para se livrar-se da incômoda zona de conforto que eles mesmos ajudaram a produzir.

empreender-o-fim-da-zona-de-conforto.jpg

A zona de conforto é uma opção particular, uma escolha pessoal que não pode ser atribuída a terceiros. Representa a sua filosofia de vida, a sua falta de ambição e o nível de comprometimento com a própria evolução. É reflexo da opção inequívoca pela estagnação.

Embora a zona de conforto seja aconchegante, ela nunca será promissora. É duro sair da cama com menos dois graus centígrados lá fora, mas, se você não fizer isso, o gelo não sai do carro sozinho, o pão não chega até a sua cama, os clientes não trazem o pedido nem o patrão vem até a sua casa para ver se você está bem.

Se você permitir, a zona de conforto vai atrofiando sua capacidade de resposta a ponto de torná-lo tão vazio e insosso quanto aquele tio ranzinza que não sabe fazer outra coisa na vida senão ficar reclamando do governo e da sociedade sem se desgrudar do controle remoto.

Por que você deve se esforçar para sair da zona de conforto? Quatro pontos de reflexão são suficientes para mudar esse estado:

  • Mais dia, menos dia, você será obrigado a sair da zona de conforto, portanto, se estiver preparado, melhor.
  • Tudo na vida é experimentação e não se pode conquistar algo diferente sem fazer algo diferente.
  • Uma vida mais interessante só é possível quando os desafios são intensos; a zona de conforto é justamente a ausência de desafios.
  • A zona de conforto é o começo do fim, pois, quem não evolui, tanto no lado pessoal quanto no profissional, simplesmente regride.

Considerando tudo isso, a menos que alguém queira viver e morrer desfrutando os prazeres da zona de conforto, sem objetivos nem desafios que façam a vida valer a pena, é necessário tomar medidas concretas para mudar a situação enquanto ainda é possível canalizar energia para isso.

Com setenta ou oitenta anos, talvez não seja possível mudar mais nada, portanto, empreender é a melhor maneira de quebrar esse vínculo nocivo e de tornar a vida mais interessante e desafiadora. Vejamos mais algumas razões:

Empreender é o fim da zona de conforto: um empreendimento por conta própria exige dedicação integral durante muito tempo até que o negócio se consolide e você possa conquistar bons resultados. Se quiser ver o negócio prosperar de fato, você vai ter muito que fazer o tempo todo.

Empreender muda de maneira definitiva o seu estilo de vida: esqueça os princípios da zona de conforto proporcionados pelo emprego formal; ganhos variáveis, controle rigoroso de custos, empregados rebeldes, fornecedores instáveis, inexistência de horários e pressão familiar são desafios permanentes.

Empreender muda a sua maneira de encarar os problemas: ser dono do próprio negócio significa assumir a responsabilidade integral pela solução dos principais problemas da empresa. O empreendedor é o único responsável por si mesmo, por seus empregados, pela família e perante a sociedade. Nesse caso, é impossível transferir os problemas para terceiros.

Empreender pode ser uma atividade recompensadora: com uma boa estratégia, dedicação ao extremo, paciência durante o período de maturação e um pouco de sorte, você poderá criar um negócio atrativo e se tornar uma referência no seu segmento de atuação. Talvez você fique milionária, talvez não, mas o que importa mesmo é o aprendizado que vai ajuda-lo a se tornar um lutador pela vida toda.

Reconheça por si mesmo que é difícil deixar a zona confortável do salário fixo, do décimo terceiro, do plano de saúde, do vale alimentação e do auxilio combustível, mas, essa conquista não é sua. Ela faz parte da estratégia de muitas organizações para manter a sua inteligência disponível para o que der e vier.

Isso não é bom nem ruim, depende do seu projeto de vida. Se isso reflete a sua vontade, não há problema algum, entretanto, seja o melhor dos empregados, o mais dedicado, o mais fiel, o mais produtivo e pare de conspirar contra o patrão.

Não existe nada mais nocivo para o ser humano do que trabalhar em algo com o qual ele não se identifica, cujos valores não se harmonizam e, acima de tudo, quando as perspectivas de crescimento são nulas.

Quer mesmo sair da zona de conforto? Lembre-se das palavras de Mark Twain, autor de O Príncipe e O Mendigo: “O segredo de ir em frente está em começar. O segredo de começar está em repartir suas tarefas complexas e esmagadoras em tarefas pequenas e administráveis e, então, começar pela primeira”.

Pense nisso, empreenda e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *