Conhece-te a ti mesmo

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

São poucas as pessoas que dedicam tempo e esforço para conhecer a si mesmas, por várias razões que a própria razão desconhece. Significa que a grande maioria faz pouca ideia de como as coisas funcionam e o que deveria ser feito para extrair melhores resultados na vida.

Um exame de consciência bem elaborado, em silêncio absoluto, é capaz de fazer o ser humano descobrir coisas que talvez ele não goste, afinal, não existe nada mais contestador do que a sua própria consciência. Mas é necessário.

O fato é que a busca pelo sucesso na vida profissional está diretamente relacionada com o desenvolvimento pessoal. Do início ao fim do dia, o que estamos buscando na prática é aquela sensação gostosa de autorrealização, prosperidade, bem-estar e felicidade para nós e para aqueles que significam muito para nós.

Conhecer-se a si mesmo é uma das tarefas mais difíceis para qualquer pessoa. Por essa razão, as escolas tradicionais e filosóficas, as religiões e a ciência dedicam tempo e energia na tentativa de descobrir aquilo que, por si só, poucos se propõe a fazê-lo.

Entender o que se passa na sua cabeça e descobrir a melhor forma de reagir a elas é um desafio permanente. Quanto maior for o relacionamento entre o que você faz para ganhar a vida e o que faz sentido em sua vida, maior a força para manter a motivação diante dos obstáculos ao longo do caminho.

autoconhecimento

Conhecer as próprias emoções, habilidades, virtudes e, acima e tudo, os próprios defeitos, é a única forma de desenvolver ainda mais o seu potencial para encontrar o equilíbrio psicológico e espiritual. Ao final, se o que você se propõe a fazer é bom para a sociedade, o reconhecimento será apenas uma consequência.

Muito bem, legal tudo isso, mas o que você pode fazer para conhecer a si mesmo? Anos de psicanálise não poderão ajudá-lo a descobrir o que já está dentro de você mesmo embora isso possa contribuir. Quatro questões são fundamentais no exercício do autoconhecimento:

De onde vem a sua motivação? A resposta para essa questão está na resposta para outras questões complementares: por que você levanta todos os dias? O que você quer da vida? É isso que você gostaria de continuar fazendo até o fim? O que você ama de verdade?

Quais são as suas limitações? O que você aprendeu até agora é útil para a carreira que pretende seguir? Quais são os seus pontos fracos e o que fazer para superá-los? Com quem você pode contar para ajudá-lo a descobrir e superar suas limitações?

Qual é a sua tribo? Você precisa agradar a todos? Quem de fato se importa com você? O que você deve fazer para ser aceito no meio em que mais se identifica? A questão é simples: quem quer ser tudo para todos acaba não sendo nada. Em que ambiente você deve atuar?

Qual é o seu plano? Como aproveitar melhor os seus pontos fortes para atingir seus objetivos sem parecer prepotente? Qual é a sua meta estratégica (visão de longo prazo). Quais são as suas metas de competência (metas de curto prazo)? Já fez o seu plano de ação?

Num dia desses qualquer, sente-se confortavelmente no sofá, longe de tudo e de todos, feche os olhos e imagine um dia em sua vida, do nascer do sol até a hora em que você vai dormir. Anote o dia, mas não registre o ano. Quando você estiver bem relaxado e o ciclo cerebral for menos intenso, tente não pensar em nada. É difícil, mas tente.

Agora sim, estamos falando de dez anos à frente. Como é que você vai estar daqui a dez anos, no mesmo dia em que você anotou. Continue com os olhos fechados e não se distraia nem com um terremoto.

Você gosta do que faz? A família está ao seu lado? Está motivado? Está produzindo resultados satisfatórios? Conseguiu alcançar os objetivos traçados há dez anos? Pense um pouco e responda: você está feliz nesse dia? Se não gostou do que viu, ainda pode mudar essa realidade.

O filósofo grego Sócrates dizia que as pessoas deveriam se ocupar menos com as coisas – riqueza, fama, poder – e passar a se ocupar mais com si mesmas. Ocupar-se com si mesmo é o único caminho que permite o acesso à única verdade capaz de transformá-lo no seu próprio jeito de ser – dizia ele.

Se você ainda não teve a oportunidade de ler o discurso de Steve Jobs – co-fundador da Apple – para os alunos da Universidade de Stanford, em 2005, vale a pena investir tempo nisso. Está disponível em vários sites na Internet, porém, uma das coisas ditas por ele e que me fazem pensar todos os dias não está no discurso:

“Se hoje fosse o último dia da minha vida, eu iria querer fazer o que estou prestes a fazer hoje? E toda vez que a resposta é “não” por um número seguido de dias, eu sei que preciso mudar alguma coisa.”

Por fim, as palavras do filósofo Grego Platão, discípulo de Sócrates, encerram a nossa reflexão de hoje: “Tudo o que o homem aprende já está dentro dele. Todas as experiências, todas as coisas externas que o cercam nada mais são do que uma ocasião para ajudá-lo a saber o que existe dentro dele.”

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *