Comportamento ético

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

A ética é uma questão importante na vida pessoal e profissional das pessoas. Diz respeito ao código de princípios e valores morais que norteiam o comportamento de uma pessoa ou mesmo de um grupo. Portanto, a ética define padrões sobre o que julgamos ser certo ou errado, bom ou mau, justo ou injusto, legal ou ilegal na conduta humana e na tomada de decisões em todas as etapas e relacionamentos da nossa vida. Você se considera uma pessoa ética?

De acordo com Aristóteles, filósofo grego do século IV antes de Cristo, “algumas coisas são agradáveis por natureza, e entre essas, algumas o são em sentido absoluto e outras em relação a determinadas classes de animais ou de homens; por outro lado, entre as coisas que não são agradáveis por natureza, algumas se tornam agradáveis por efeito de distúrbios no organismo, outras por causa de hábitos e outras ainda por causa de uma natureza congenitamente má.”

Considerando o pensamento de Aristóteles, não é difícil imaginar o que leva uma pessoa a desviar sua conduta e manifestar um comportamento condenável ante o padrão estabelecido pela sociedade em geral. Naturalmente, ser ou não ser ético depende muito dos valores envolvidos em cada situação, da sua formação educacional e religiosa, da sua experiência de vida e também do ambiente onde as pessoas estão inseridas. O fato é que não se pode desprezar o conceito, pois onde quer que você vá, as pessoas estão promovendo julgamentos de toda ordem sobre aquilo que você pensa, diz, realiza e escreve.

comportamento-etico

Uma das principais razões pelas quais os seres humanos se envolvem em comportamentos não éticos é a sua natureza essencialmente competitiva e a busca predominante da vantagem sobre algo ou alguém. Para ajudá-lo a repensar essa questão, tomei a liberdade de resgatar alguns episódios testemunhados ao longo da minha carreira pessoal e profissional e submetê-los à sua fiel interpretação. Avalie a questão sob o ponto de vista do comportamento ético e decida de acordo com os seus valores e os seus princípios.

  • Você é responsável pelos processos de compra numa grande empresa distribuidora de materiais de construção. Por conta de uma reforma geral em andamento na sua própria casa, sua situação financeira não é das melhores. Consciente da situação, um dos fornecedores lhe propõe arranjar todo o material de que você precisa, gratuitamente, desde que os pedidos de compra da sua empresa sejam direcionados para a empresa dele. Ele promete manter sigilo e não aumentar os preços que já pratica para a sua empresa. O que você faria?
  • Você viaja constantemente e a política da empresa diz que pode se hospedar em hotéis com diárias de até R$ 200,00. Você encontra bons hotéis com diárias que variam de R$ 80,00 a R$ 120,00 e ainda lhe oferecem a possibilidade de emitir comprovante no valor máximo reembolsável pela empresa para ajudá-lo. O que você faria?
  • Você é o gerente financeiro da empresa onde trabalha há mais de dez anos. Um dos sócios lhe procura para solicitar uma transferência de valores, em pequenas quantidades semanais que, somadas, farão uma grande diferença no resultado anual da empresa. Que fique apenas entre nós dois – comenta o sócio. Você precisa muito do emprego e o outro sócio tem por você enorme consideração. O que você faria?
  • Você é uma pessoa extremamente rígida quando se trata de dinheiro alheio, um comportamento que você herdou dos seus pais e é motivo de orgulho para a família. Você foi admitido na empresa há um mês e vai almoçar com o chefe pela primeira vez. Cada uma paga a sua conta, porém você vê que ele pediu a nota fiscal com o valor duas vezes maior do que a despesa realizada e sabe que ele vai solicitar o reembolso da empresa. O que você faria?
  • Você foi flagrado no radar dirigindo o seu possante com velocidade superior a 150 km/h. O agente rodoviário se aproxima, pede para ver os documentos e o convida para sair do carro e assinar o auto de infração. Ao se aproximar da viatura policial você fica sabendo que a multa vai pesar no bolso, entretanto, o agente lhe sussurra baixinho que se você deixar um bom trocado para o “café”, ele faz de conta que não aconteceu nada e você está liberado. O que você faria?
  • Você ficou sabendo que o filho do seu melhor amigo está desviando peças do almoxarifado da empresa para vender no mercado paralelo de autopeças. Ele foi admitido na empresa com a sua recomendação, afinal, ele é também seu afilhado. Acontece que o seu melhor amigo está desempregado há um bom tempo e, no momento, o filho dele representa a única renda da família. Se você denunciá-lo, a renda cessa e sua reputação poderá ser prejudicada. O que você faria?

Imagino que você tenha sido sincero nas respostas. Um bom começo é praticar aquilo que tanto exigimos do governo, das empresas, dos empregados e da sociedade. Não quero mencionar os políticos, pois acredito pouco nos seus netos que ainda não nasceram. Ser ético não é tão simples quanto se imagina. O discurso é bom, mas na prática ocorre algo muito diferente.

Todas essas questões fazem parte do cotidiano das empresas e das pessoas. O que você poderá fazer com elas será o seu maior desafio, portanto, quero compartilhar algumas lições simples – aprendidas com meus pais, bons chefes e colegas de trabalho – que me fazem viver a vida de maneira que eu possa deitar a cabeça no travesseiro e acordar tranquilo todos os dias.

Sabendo usar não vai faltar: se a empresa já lhe oferece a chance de viver bem, dormir bem e comer bem, faça isso, mas não engane a si mesmo enganando quem lhe provê o sustento.

Seja íntegro: aquilo que você pratica está em consonância com o seu discurso? O que vale para a vida pessoal vale para a vida profissional, portanto, não faça aos outros aquilo que não deseja para si mesmo.

Não importa o valor: um real ou um milhão de reais não faz a menor diferença quando se trata de ética. Se não é seu, não pegue. Lembre-se das palavras de sua mãe: devolva o lápis do coleguinha, filho; essa borracha não é sua; não quero ver você com aquilo que não é seu.

O hábito faz o monge: segundo Aristóteles, “toda virtude é gerada e destruída pelas mesmas causas e pelos mesmos meios, assim como acontece com a arte: tocando a lira é que se formam os bons e os maus músicos.” Você escolhe o caminho a seguir.

Você ainda quer ser um empreendedor? Desejo-lhe muito sucesso e devo lembrar que, quando isso acontecer, você estará sujeito aos mesmos deslizes de seus funcionários, portanto, deverá tomar uma decisão com base em seus próprios valores e princípios.

Pense nisso e seja feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *