Como viver de maneira intensa

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Todos os dias, milhares de pessoas se levantam de manhã para cumprir uma rotina estressante, por vezes, enlouquecedora. Escovam os dentes, arrumam os cabelos, tomam café, pegam o elevador, abrem a garagem, dirigem o carro, enfrentam o ônibus, levam os filhos para a escola e, por fim, chegam ao trabalho para cumprir suas obrigações, no sentido literal da palavra.

Algumas não vêem muito sentido nisso, mas seguem fielmente o ditado “melhor um pássaro na mão do que dois voando”, portanto, falta-lhes coragem para mudar suas atitudes e, sem isso, suportam a mesmice já que as contas não param de chegar.

A maioria das pessoas fará isso até o dia da aposentadoria ao imaginar que, depois de trinta e cinco anos de trabalho ou mais, finalmente, a missão está cumprida e, assim, poderão viver uma vida mais intensa.

Quando a realidade das pessoas está desalinhada com o seu propósito de vida, elas sobrevivem com base em expectativas como se, num futuro não muito distante, os problemas pudessem acabar sem o menor esforço.

Muita gente acha que o tempo resolve isso, então, o discurso não muda: quando Deus quiser, quando meus filhos crescerem, quando se formarem, quando eu me aposentar, quando eu me formar, quando as crianças saírem de férias e assim por diante.

A maioria quer que a esposa mude, os filhos mudem, o vizinho se mude, o chefe e o mundo mudem, mas são poucas as pessoas que estão dispostas a mudar a si mesmo, portanto, prefere seguir esperando até que alguma coisa mude.

Artigo de Jerônimo Mendes

A dura realidade é que trabalhar por mais de trinta anos a fim de se conseguir uma renda fixa por mais trinta, por vezes muito inferior àquela que se recebe durante a maior parte da vida, pode ser frustrante. É quando alguém diz “agora vou poder realizar o meu sonho, fazer o que eu gosto, estou livre”.

Pura bobagem. A interrupção abrupta do trabalho em forma de aposentadoria é o melhor caminho para a infelicidade. Conheço poucas pessoas que se aposentaram e se tornaram mais felizes do que antes, a despeito de toda pressão ou estresse que sofreram no trabalho. É impossível conseguir algo diferente fazendo as coisas do mesmo jeito.

Além do mais, imaginar que o tempo é capaz de corrigir as bobagem que se comete ou o tempo que se perde na esperança de um futuro melhor, sem fazer a parte que nos cabe, é mera ilusão.

O tempo é uma criança rebelde que não para de crescer e como não envelhece, a única coisa que faz é castigá-lo enquanto você leva a vida na flauta achando que ainda tem muito tempo para fazer o que tem que ser feito.

Quer levar a vida de maneira intensa? Quer viver uma vida digna de ser contada nos livros de história? Não existe segredo para isso, mas algumas coisas são essenciais:

  1. Mude de casa, de cidade, de curso, de emprego, de vida. Experimente!
  2. Leia livros, veja filmes, vá ao teatro, não perca o show do McCartney por nada.
  3. Elogie mais, critique menos, torça pelo sucesso das pessoas.
  4. Dedique-se a uma causa, torne-se um voluntário, caminhe um quilometro extra.
  5. Viaje, conheça novas culturas, respire outros ares, abra sua mente.
  6. Se não for o melhor, procure ser um dos melhores naquilo que faz.
  7. Faça alguma coisa útil todos os dias, seja um realizador por natureza.
  8. Nunca saia de casa sem um belo sorriso no rosto.
  9. Escreva sua própria história, compartilhe, dê o exemplo.
  10. Espere menos, ame mais, viva cada dia como se fosse o último.

Viver intensamente é um desafio. Quem vive de maneira intensa tem mais chance de errar e se desenvolver para atingir a plena felicidade. E a felicidade nada mais é do que a soma daqueles pequenos e repetidos momentos de alegria que deveriam ser congelados para todo o sempre.

Pense nisso e seja bem mais feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *