Aprendendo a ser otimista

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Ser otimista é a coisa mais difícil do mundo ainda mais quando você cresceu em meio a inúmeras dificuldades desde criança e acabou absorvendo os mesmos modelos mentais negativos dos seus pais. Por isso, não é tão simples quebrar um padrão, remar contra a maré e mudar o discurso de uma hora para outra.

A mente humana é infestada de “nãos”. A maioria das pessoas foi acostumada a ouvir não desde que começou a entender as primeiras palavras. Não mexa! Não corra! Não grite! Posso sair? Não! Posso brincar na chuva? Não! Posso ir pra balada? Não! Posso pegar o carro? Não! Posso transar? Claro que não!

As estatísticas não mentem. São mais de cem mil “nãos” até atingir a maioridade e, assim mesmo, você continuará ouvindo “nãos” por um bom tempo. Quando não quiser mais ouvir do pai e da mãe, ouvirá do cliente, do chefe, da esposa, do marido, dos filhos e da sociedade.

Não é à toa que você incorpora o não e acaba resignado, conformado em alguns aspectos. Ouvir um não atrás do outro se torna tão corriqueiro que muitos acabam perdendo aquela capacidade de resiliência de quando ainda eram crianças birrentas que conseguiam tudo na base do choro e da persistência.

Eu odeio ouvir não e, de vez em quando, alterno entre picos de otimismo e pessimismo, mas, se o segundo predomina, procuro me redimir o mais rápido que posso. Tenho consciência de que o pessimismo é nocivo e não vai me levar a alugar algum, ao contrário, pode me distanciar ainda mais dos meus objetivos.

Dessa forma, procuro utilizar as estatísticas a meu favor e tento trabalhar a minha capacidade de resiliência para ouvir um sim a cada dez “nãos”. Já programei a minha mente para isso, como se fosse uma meta a ser alcançada. Um sim a cada dez, depois dois, três e assim por diante.

otimismo

Apesar dos reveses, qualquer um pode aprender a ser otimista, a menos que você seja pessimista por opção e pensa que mundo conspira contra você. Nesse caso não há muito que fazer, afinal, a escolha já foi feita e somente você tem o poder de mudar suas escolhas.

Quer mudar o seu discurso e aumentar as chances de sucesso na vida pessoal e profissional? Aqui estão algumas dicas essenciais:

1) Procure não alimentar o discurso negativo das outras pessoas; quando você faz isso, reforça ainda mais o seu próprio modelo mental negativo.

2) Evite a companhia de pessoas pessimistas; o que elas mais desejam é um ombro amigo capaz de validar a sua condição. Algumas pessoas simplesmente não querem mudar.

3) Faça o seu próprio inventário de realizações, cole na parte interna do guardarroupas e veja diariamente quantas coisas boas você já conquistou ao longo da vida.

4) Se o não é mais nocivo que o sim, risque o não da sua vida, sem ser irresponsável, e use o não com sabedoria. Exemplo: Não posso comprar agora. Sim, posso economizar e comprar numa condição melhor

5) Aceite os primeiros “nãos” com naturalidade; faz parte do seu processo de crescimento; quando se trata de vendas, por exemplo, o sim é um doloroso processo de aprendizado que passa por, pelo menos, cinco a dez “nãos” antes de se concretizar.

6) Pare de conspirar no corredor contra a empresa, contra o chefe, contra as pessoas que não concordam com o que você diz; se você não está contente com os resultados alcançados, mude suas atitudes ou, então, mude-se.

7) Visualize suas conquistas todos os dias; imagine-se lá na frente, alcançando um objetivo, conquistando um troféu, recebendo uma homenagem, agindo como se já estivesse fazendo aquilo que você gostaria de fazer.

Não importa se você é empreendedor ou empregado. O pessimismo é um parasita persistente e nocivo e, como tal, adapta-se ao hospedeiro. Tudo o que ele precisa é de uma mente pobre de espírito que se diz incapaz de mudar a sua condição.

Pense nisso e seja bem mais feliz!

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
2 Comments

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *